Litteraria

As horas vagas mais improváveis

Fanzine Libélula – Parte 1

Quando eu tinha 16 anos comecei a escrever poesias. Até hoje eu tenho guardados os cadernos lotados de linhas coloridas, pois todos (ou quase todos, rs) sabem que eu sou absolutamente viciada em canetas e papeis. E com 17 anos eu tomei contato com os fanzines, quando estava numa loja de cd’s no centro de Santo André e peguei o Fanzine MegaRock pra ler.
Achei o maior barato, e decidi que ia fazer um também.

Fiz um fanzine simples, com duas páginas, com uma poesia minha e mais três, de três amigos meus. Na época esses amigos haviam criado um grupo no Yahoo justamente para trocarem literatura, e eu pedi permissão pra publicar os poemas no meu fanzine, o qual chamei de Libélula por sugestão de uma fanzineira com quem eu havia entrado em contato pra pedir umas dicas. Meus amigos prontamente autorizaram, e um deles foi além. O Ednei (hehe) se empolgou com o que eu havia feito, e uns dias depois me apresentou o que ficou sendo a primeira edição do fanzine Libélula.

Nessa época eu conheci o Cerito, que produzia (e produz ainda) fanzines de FC&C e mantém atualmente um blog, o Mensagens do Hiperespaço. Ele me ensinou uma porção de coisas sobre fanzine…

Foi um sucesso razoável o lançamento do zine. Eu já mantinha contato com diversos fanzineiros, e o Libélula nº1 chegou a sair em listas de fanzines. Era o maior barato, chegavam cartas com fanzines dentro pedindo um exemplar do Lib na base de troca. E eu fazia o mesmo, enviava o Lib em troca de receber outro fanzine de volta. Nessas trocas eu conheci a Fernanda Meireles, de Fortaleza-CE, e o Edgard Guimarães, de Brazópolis – MG. Eles são bastante conhecidos no meio “zinísticos” e me deram uma força bem grande, mesmo que indiretamente.

Daí a equipe Libélula (rs) já tinha 4 membros. E então começamos a pensar no segundo zine…

(continua)

Elise

8 comentários em “Fanzine Libélula – Parte 1

  1. Olá, Elise!

    Que ótima surpresa este post seu! Estou adorando mesmo acompanhar sua volta ao Litteraria!

    Muito bacana o Libélula! É mesmo um ótimo trabalho. Gostei muito de lê-lo. Já fiquei curioso: o segundo zine saiu?

    Sempre estarei por aqui, de olhos nas novidades.

    Um abraço!

  2. Putz, saudades disso hein? Tudo bem que eu entrei de gaiata só no Lib3, mas ok -q
    Precisamos organizar o 4 logo, hein, pq enfim, como eu disse uns anos atrás… esse fanzine é bom demais pra morrer D:

  3. @Adelson: Obrigada pela visita! O Libélula 2 saiu sim, é o assunto da minha próxima postagem. O zine, na verdade, saiu até o nº4. Vou explicar tudinho nos próximos posts, mas a minha amiguinha já soltou uma pista aí em cima…

    @Lengsel: Querida, o nº 4 tem até poesia sua, rs… não fique perdida. E sim, nós temos que organizar o próximo, mas calma. Deixa eu rememorar os que já saíram… rsrs E eu vi, uma visita de Portugal, estamos virando mainstream [?] hehehe…

    Abraços, e obrigada pelos comentários! =D

  4. @Carol: Valeu querida, que bom que você gostou do Libélula! =D
    @Hiperespaço: Cerito, querido, eu confesso que fiquei surpresa e feliz quando vi que o Libélula "ainda" faz sucesso. Isso me faz querer retomá-lo pra valer. Vamos ver o que vem pela frente…
    =D

    Obrigada pelos comentários, e um abraço a todos! =D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo